Nanni e a qualidade de serviço.

Numa tabuinha com 4 mil anos, escrita em caracteres cuneiformes e língua acádia, encontramos o primeiro registo histórico de um cliente queixoso com a qualidade de serviço de um fornecedor: "exercerei contra ti o meu direito à rejeição porque me trataste com desprezo!"

Bravo Velho Oeste
Vol. III

Biografias de Minuto e Meio: um itinerário pelas vidas dos bandidos, batoteiros, aventureiros, assassinos e artistas de circo que infectaram os territórios do oeste norte-americano, no século XIX.

Um Beethoven sofrido,
em quatro sinfonias.

A vida de Ludwig van Beethoven foi menos gloriosa que a sua obra. Mas sem o sofrimento da existência, será a arte possível? Um roteiro existencial em 4 sinfonias.

Bravo Velho Oeste
Vol. II

Biografias de Minuto e Meio: um itinerário pelas vidas dos bandidos, batoteiros, aventureiros, psicopatas, assassinos e artistas de circo que infectaram os territórios do oeste norte-americano, no século XIX.

Bravo Velho Oeste
Vol. I

Biografias de Minuto e Meio: um itinerário pelas vidas dos bandidos, batoteiros, aventureiros, psicopatas, assassinos e artistas de circo que infectaram os territórios do oeste norte-americano, no século XIX.

Colunista woke pergunta “Onde estão os negros?” numa série sobre samurais passada no Japão do século XVII.

Um colunista da publicação de extrema-esquerda Medium escreveu um artigo a queixar-se da falta de actores negros numa nova série de televisão sobre guerreiros samurais no Japão do ano... 1600.

Aleksandr Solzhenitsyn:
O legado do imortal filósofo 50 anos após a sua deportação da URSS.

Biografias de minuto e meio: Meio século depois de ter sido expulso da mãe pátria, e 16 anos depois da sua morte, Aleksandr Solzhenitsyn permanece actual como romancista, mas sobretudo vive como o filósofo visionário da tradição cultural russa.

Reino Unido: Exposição sobre “diversidade” financiada com dinheiros públicos afirma que os britânicos originais eram negros.

A ficção toma o lugar da história, em função da política: Uma exposição que celebra a "diversidade" em Londres afirma, de forma risível, que os primeiros britânicos eram negros e que "a Grã-Bretanha foi negra durante 7.000 anos antes da chegada dos brancos".

A islamização de Espanha:
Do al-Andalus esclavagista à substituição demográfica.

Nem o medieval al-Andaluz islâmico era um paraíso de paz e multiculturalismo, como as academias nos tentam convencer, nem a contemporânea Espanha, que está a ser de novo islamizada, é um exemplo bem sucedido da "diversidade" e da "inclusão".

Enorme rede de cidades antigas descoberta na floresta amazónica.

Investigadores que trabalham nas profundezas da floresta amazónica descobriram uma extensa rede de cidades com 2.500 anos, colocando em causa, mais uma vez, a arqueologia estabelecida.

Factos, lendas e apologia de S. Nicolau.

Sabemos pouco sobre o santo que inspirou o mito do Pai Natal. Mas pelo que é conhecido sobre a sua piedade e generosidade, faz todo o sentido que 17 séculos sobre a sua morte, ainda ocupe um lugar feliz no imaginário cristão.

Uma pirâmide com 27.000 anos está a lançar o pânico na arqueologia estabelecida.

A descoberta de uma estrutura regular e elaborada, visivelmente artificial, escondida sob estruturas mais recentes de Gunung Padang, é mais um indício de que a história oficial das civilizações no planeta Terra deixa muito por explicar.

Ficção woke da BBC:
A peste racista na Londres do Século XIV.

A estação de propaganda britânica está de luto pelas mulheres negras que foram vítimas da peste de Londres em 1348-50. O facto de, à época, não residirem na cidade quaisquer mulheres negras não importa, porque o "jornalismo" da BBC reduz-se à ficção woke.

O estranho mito dos romanos negros nas ilhas britânicas.

A criativa reinvenção do passado nas ilhas britânicas inclui imperadores romanos negros, métodos pseudocientíficos roubados aos nazis, modelos informáticos que acertam uma vez em cem, manipulação filológica e fraude académica. Tudo em nome da "diversidade".

A verdadeira história de Drácula.

O Contra ao Fim-de-Semana: Vlad Drácula foi um príncipe medieval cuja reputação de guerreiro sanguinário inspirou o famoso vampiro de Bram Stoker. Mas entre o mito e a realidade há toda uma enciclopédia de divergências. E ingratidão sobre o seu legado histórico.

Revisionismo histórico & histeria climática: New York Times culpa a actividade humana por incêndios ocorridos há 13.000 anos.

Para além das suas falsas premissas, o artigo do New York Times parece responsabilizar as tribos que escassamente habitavam a América do Norte na Idade da Pedra por não terem a consciência ecológica de Greta Thunberg. Bravo.

Tall el-Hammam e as evidências arqueológicas de Sodoma e Gomorra.

Achados arqueológicos em Tall el-Hammam, na Jordânia, comprovam a factualidade da história bíblica de Sodoma e Gomorra. Mais uma demonstração científica de que os textos da tradição judaico-cristã são mais fidedignos do que muita gente gosta de pensar.

Identidade de Jack, o Estripador revelada por descendente de polícia que investigou o caso.

Características físicas distintas, histórico de violência e insanidade documentada apontam para Hyam Hyams como sendo o assassino de Whitechapel. E o facto da actividade do Estripador ter cessado na altura em que Hyams foi internado num asilo, dá que pensar.

Uma longa série de equívocos.

Na Europa, só os presidentes americanos do Partido Democrata são vistos como líderes decentes, recebidos sem protestos, adorados pelos media e merecedores de honras duvidosas. Mas uma breve análise histórica mostra a falácia desse preconceito.

Novas evidências fósseis sugerem que a humanidade é originária da Europa e não de África.

Os ossos da mandíbula de um macaco com 8 milhões de anos que foram descobertos na Grécia levaram investigadores a especular que poderá tratar-se de um dos primeiros antepassados evolutivos da humanidade.

Em defesa das Cruzadas.

O livro de Raymond Ibrahim, "Defenders of the West", argumenta que as acções heróicas de alguns grandes cruzados salvaram o Ocidente da conquista muçulmana. Devemos honrá-los com a verdade dos factos históricos.

Fascículos de História.

Quatro momentos que reflectem sobre a guerra, a civilização e o revisionismo histórico a que as academias e a imprensa corporativa estão a submeter o passado, para que compagine com as suas teses delirantes.

New York Times distorce a História para defender a invenção Netflix de que Cleópatra era negra.

O New York Times defende uma alternativa absurda à realidade histórica segundo a qual a monarca egípcia era negra, se não etnicamente, então culturalmente: coitadinha da Cleópatra que era uma oprimida do seu tempo.

Sobre as intenções das oligarquias ocidentais.

A obliteração de direitos e liberdades, a guerra às pequenas empresas, a diminuição do nível de vida, a redução do consumo alimentar e energético, a inflação e as sanções económicas à Rússia, são métodos de transferir riqueza para as mãos das elites globalistas.

Mathew White e a Estatística do Horror.

"O Grande Livro das Coisas Horríveis" é um relatório estatístico das trevas que vivem no coração do homem e dá prova factual e deprimente de que a violência genocida é o mais poderoso motor do trânsito histórico.

Mil Desculpas

Muito gostam as elites contemporâneas de pedir desculpa pelos impérios que não se esforçaram por levantar. Mas a lógica aplicada à história de todos os povos que não apenas os de pele pálida e a todas as civilizações que não só as ocidentais levaria a um apocalipse de contrições.

O Cravo Bem Temperado ou como compor com a pauta toda.

Os 48 prelúdios e fugas que resultaram não só da arte, mas da indústria, do célebre compositor germânico, mudaram para todo o sempre a história da música. Sem exagero.

A História falsificada

O mais preocupante flagelo mediático dos dias que correm não é o fenómeno das falsas notícias, mas o da História falsificada.

Colosso, de Niall Fergusson

Apesar de escrito já no distante ano de 2004, “Colosso – Ascensão e Queda do Império Americano” é um livro inquietante e provocador, documento de profundidade inegável e carácter profético, que vive para além dos seus defeitos intrínsecos.

Os vikings transexuais:
um caso paradigmático de pseudo-História.

Não é aceitável utilizar achados arqueológicos como forma de promover conceitos pós-modernos que nem sequer existiam à data das evidências em estudo.

Armas, Germes e Aço,
de Jared Diamond.

Uma obra de divulgação científica de amplo espectro, onde se argumenta, com erudição mas nem sempre convincentemente, de que o percurso histórico da humanidade dependeu, nos últimos 11 milénios, exclusivamente de factores naturais, geográficos e pandémicos.

Uma revisitação da trégua de Natal nas trincheiras da 1ª Grande Guerra.

A trégua de 1914 é uma história tão inacreditável que é quase boa demais para ser verdade: uma série de cessar-fogos generalizados, espontâneos, voluntários e não oficiais entre os alemães e os ingleses ocorreram nos dias em torno do Natal desse ano.

Apolo XI: 15 minutos eternos.

O filme dos últimos 15 minutos da alunagem da Apolo XI é indescritivelmente belo. Até quando falha o computador e é o factor humano que salva o dia. Nesta sequência, cada segundo carrega uma dose intensa de glória.

 

O Império Marítimo Português 1415-1825,
de C. R. Boxer

Biblioteca do Contra: a evolução do império marítimo português desde as primeiras viagens de descoberta até à independência do Brasil, numa obra fundamental que, no entanto, não dá solução às questões que se propõe resolver.

Nostradamus e a invenção do passatempo.

Biografias de Minuto e Meio: Muito dado à charada e à metáfora, o astrólogo, médico e poeta francês revestiu as suas "Profecias" de escrupulosa e insondável imprecisão. Talvez tenha sido esse o truque que o projectou para a posteridade.

Rossini, o génio da Ópera Buffa.

O mestre de "O Barbeiro de Sevilha" não compunha para os deuses, nem vivia preocupado com a sensibilidade dos príncipes. Sabendo bem do poder que a música exerce sobre as massas, propunha intensidade, ritmo, eloquência e entretenimento, para todos.

A Revolução Cultural, ontem e hoje.

Podemos, com toda a razoabilidade, perguntar se as políticas de cancelamento do livre arbítrio vigentes nos nossos dias são assim tão diferentes das "sessões de luta" da Revolução Cultural maoista de há seis década atrás.

Göbekli Tepe e a razão da religião.

A História convencional diz-nos que foi a invenção da agricultura e a sedentarização que terão levado ao desenvolvimento estrutural da religião. Depois da descoberta dos templos de Göbekli Tepe, temos evidências que o processo poderá ter sido o inverso.

Bernardino,
o General Sem Medo.

Biografias de Minuto e Meio: A história de um homem que pagou com a vida o dispendioso preço de amar a sua pátria.

“Prisioneiros da Geografia”: os mapas falam. Convém ouvi-los.

Timothy John Marshall chama a atenção do leitor para uma variável das relações internacionais cuja importância fundamental, no século XXI, tendemos a desvalorizar ou esquecer de todo: a geografia.

Quem vê estátuas não vê imperadores.

Há muitos equívocos na identificação dos imperadores romanos baseada na estatuária e nas artes plásticas. Mas as artes digitais contemporâneas podem ajudar a fazer uma ideia mais aproximada da fisionomia destes ilustres personagens históricos.

Hiroo Onoda: o soldado que recusou render-se.

A história do soldado que cumpriu durante 30 anos a missão que já não tinha e a guerra que já não era. E que sobreviveu contra todas as probabilidades.

O Inverno de Vivaldi.

Biografias de Minuto e Meio: Antonio Vivaldi pode muito bem ter sido o único sacerdote na história da Igreja Católica que nunca celebrou missa. Vale a pena contar a história.

Sobre a queda.

Estamos a viver numa era de colapso civilizacional? Será pertinente considerar o que levou à queda das civilizações do passado, a fim de determinar se a nossa está em perigo.

As Variações de Goldberg ou um estranho remédio contra a insónia.

A história da mais bela obra alguma vez escrita para o teclado, e dos dois discípulos a que está indelevelmente ligada.

Tucídides e a Realpolitik.

A Universidade de Michael Sugrue #02: uma prelecção sobre o iniciático realismo de Tucídides, na "História da Guerra do Peloponeso".

No funeral de Isabel,
vai a Grã-Bretanha a enterrar.

Com a morte de Isabel II, morrem também os últimos vestígios do apogeu civilizacional do Ocidente. É um funeral em que todos enterramos qualquer coisa de nós mesmos.

Átila, o Flagelo de Deus.

Biografias de Minuto e Meio: o rei dos hunos conquista uma boa parte da Europa só para ser corrido por um papa.

Tudo o que está errado na lenda de Galileu.

Devemos ter cuidado com as novelas históricas que se encaixam lindamente nos estereótipos contemporâneos. Quando é esse o caso, as probabilidades apontam para que alguns equívocos estejam a infectar a fábula.

O Império de Hitler
O Domínio Nazi na Europa Ocupada, de Mark Mazower

Biblioteca do Contra: Uma longa e minuciosa aguarela de horrores, equívocos e fracassos, traçada com mestria e lucidez.

Marco Aurélio ou o oráculo de Platão.

A Universidade de Michael Sugrue #01: Imagina que tens todo o poder do mundo. O que é que achas que vai acontecer com a tua alma, rapidamente?

Brasil: Uma Biografia

Biblioteca do Contra: um extenso e picaresco trabalho de Lilia M. Schwarcz e Heloisa M. Starling, "Brasil: Uma Biografia”, experimenta um género novo: uma síntese subjectiva e saborosa da história do país, visto como um personagem.