Conceituados médicos do Reino Unido estão a alertar para uma “epidemia” de cancros normalmente observados em pessoas mais velhas, que está agora a afectar os mais jovens.

Estes médicos de elite afirmam que a causa da preocupante tendência permanece misteriosa.

 

 

 

Depois da Princesa de Gales ter anunciado, na sexta-feira, que estava a ser tratada contra o cancro, os médicos especialistas em oncologia afirmaram que estavam a observar um número muito maior de pessoas com menos de 45 anos, “em forma e aparentemente saudáveis”, a serem vítimas de doenças cancerígenas.

 

 

Os especialistas em saúde estão perplexos quanto ao que está a causar esta nova tendência, que se centra principalmente na zona abdominal. O Prof. Andrew Beggs, cirurgião colorrectal e membro sénior da Universidade de Birmingham, afirmou:

“Quando comecei a trabalhar como cirurgião oncológico, há 20 anos, raramente se viam pacientes mais jovens, mas agora vejo-os regularmente. Quando aparecem, ficam chocados, porque muitas vezes não tiveram quaisquer sintomas e, devido à sua idade, não pensam no cancro”.

Estas impressões foram partilhadas pelo Dr. Shivan Sivakumar, professor associado de oncologia na Universidade de Birmingham:

“Actualmente, há uma epidemia de cancro entre os jovens (com menos de 50 anos). Não se conhece a causa, mas vemos mais doentes com cancro abdominal”.

De facto, a que se poderá dever este assustador incremento? O que é que aconteceu entretanto que pode ter levado a esta estranha ocorrência? É um mistério…

 

 

Os cientistas sugerem que a causa pode ser genética ou derivar de “possíveis alterações no microbioma” e nas bactérias intestinais, embora ainda não tenham quaisquer certezas. Mas não foram as pessoas recentemente sujeitas a uma massiva terapia genética? E não poderá essa terapia genética ter causado essas “alterações no microbioma”?

Até porque não é só a frequência de cancros que está a aumentar, pois não?

 

 

Não há cego mais cego do que aquele que não quer ver.